Conselho de Administração do Caminho de Ferro de Luanda esclarece sobre o suposto extravio do comboio

Comboio
Comboio

Após rumores de um possível extravio de comboio, o Conselho de Administração do Caminho de Ferro de Luanda emitiu um comunicado para esclarecer sobre a conservação do bem público, sua localização e segurança.

Nesta sexta-feira (11) de Dezembro, esteve a circular um vídeo onde uma criança ficou espantada ao ver um comboio supostamente num espaço que pudesse pertencer aos mesmos. Com bastante velocidade o vídeo se propagou, o que levou a administração a se pronunciar sobre o assunto.

“O Conselho de Administração do Caminho de Ferro de Luanda tomou conhecimento da existência de um vídeo sobre os novos comboios (DMU), que está a circular nas redes sociais desde ontem e que faz referência a um suposto abandono ou extravio desses equipamentos de transporte de passageiros, adquiridos pelo Estado Angolano para servir os cidadãos e face ao exposto achou oportuno esclarecer a opinião pública nos seguintes termos.

1 – O vídeo em referência foi feito no interior das Oficinas Gerais do CFL, localizadas no município de Cazenga em Luanda, onde está estacionado todo o material, tanto de tração (Locomotivas), quanto rebocado (Carruagens, vagões) e ainda a maior parte do equipamento de apoio a circulação ferroviária.

Portanto, não se trata de material abandonado ou extraviado como o autor do vídeo quis fazer crer, mas sim de um material devidamente estacionado numa linha, dentro do recinto oficinal, devidamente assegurado por efectivos da Polícia Nacional e sob controlo da empresa.

2 – O autor do vídeo está devidamente identificado e é o cidadão brasileiro Rafael Ribeiro, funcionário de uma empresa que tem a sua base operacional no interior do recinto das oficinas a título de renda.

3 – Estes comboios ainda só não estão efectivamente a servir a população por causa da pandemia da Covid-19 que atrasou de maneira significativa todos os procedimentos necessários a criação de todas as condições para que eles possam circular de acordo com os normativos estabelecidos.

4 – Por conseguinte, a Administração do CFL assegura a opinião pública que estes comboios estão efectivamente sob controlo da empresa e que vai continuar a desenvolver todos os esforços para que eles comecem a circular no primeiro trimestre de 2021 como está previsto.

5 – O autor do vídeo fê-lo de forma inadvertida, sem a devida autorização e conhecimento das normas de funcionamento de uma oficina ferroviária, tendo causado danos a imagem e reputação da empresa.

Gabinete de comunicação institucional, imprensa e imagem do caminho de ferro de Luanda. Aos 13 de Dezembro de 2020″, lê-se na nota.

Ravelino de Castro
Desenvolvedor de softwares e CEO do Portal Tudo A Ver