Governo de Joe Biden vai colocar a face da activista Harriet Tubman nas notas de 20 dólares

Harriet Tubman
Harriet Tubman

O governo de Joe Biden anunciou recentemente que vai aderir ao projecto da era de Barack Obama, de incluir o retrato da ativista negra Harriet Tubman nas notas de 20 dólares, uma ideia que tinha sido paralisada pelo ex-presidente republicano Donald Trump.

O porta-voz do actual governo dos Estados Unidos da América, Jen Psaki, explicou que o processo já está em andamento e que é necessário o dinheiro representar partes históricas e as diversidades do país.

“O tesouro está tomando as medidas para reativar os esforços e colocar Harriet Tubman nas novas notas de 20 dólares. É importante que as nossas notas reflitam a história e a diversidade do nosso país”, disse Jen Psaki.

A activista Harriet Tubman nasceu em 1822, no estado do Maryland. Escravizada desde o nascimento, foi espancada durante a infância e a juventude incluindo uma lesão craniana que a fez ter tonturas e dores por toda a vida. Depois de fugir para a Philadelphia, ela voltou ao seu estado natal para resgatar familiares e amigos. Em cerca de 20 fugas para o Norte dos EUA ou para o Canadá, Tubman ajudou mais de 300 pessoas a conquistarem a liberdade.

Durante a Guerra Civil em (1860-1865), ela trabalhou para o exército da União como cozinheira e enfermeira, e chegou a liderar uma expedição armada que libertou mais de 700 escravos. Tubman lutou pelo direito das mulheres ao voto até que a doença a fez se retirar para um asilo para afro-americanos idosos que ela mesma tinha criado. Dai aguentou até em 1913 partir para o mundo dos mortos.

O rosto de Harriet Tubman substituirá o do ex-presidente americano Andrew Jackson e tornará a ativista na primeira mulher negra a ter sua imagem em uma nota de dólar americano.