Pneumologistas incentivam o uso obrigatório das máscaras cirúrgicas para conter nova variante da covid-19

Pneumologistas
Pneumologistas

A sociedade portuguesa de pneumologia (SPP) incentivou nesta terça-feira (26) de Janeiro, o uso obrigatório das máscaras cirúrgicas devido a disseminação da nova variante da covid-19 detectada na Inglaterra, que tem maior capacidade de transmissibilidade.

A nova variante do coronavírus levou vários países europeus como a França, a Alemanha e a Áustria, a reforçarem as medidas de prevenção da propagação da pandemia, entre estas, a proibição da utilização de máscaras comunitárias, muitas delas de fabrico caseiro e vários tecidos sem qualquer controlo de qualidade e eficácia.

As máscaras cirúrgicas protegem da disseminação e inalação de gotículas e têm uma capacidade de bloqueio igual ou superior a 95%, sendo por isso, eficazes na filtração de partículas e indicadas para utilização em espaços públicos abertos e fechados, nomeadamente, lojas, transportes públicos e ruas, mas, num máximo de quatro horas de utilização, as mesmas devem ser substituídas, caso contrário, perdem a eficácia, informou o SPP.

O uso de máscaras cirúrgicas não substituiu as restantes medidas que são o distanciamento físico, desinfecção e adequada ventilação dos espaços fechados. A correcta utilização da mesma, é uma das medidas mais eficazes para a prevenção da infecção por Covid-19, devendo ser seguida a recomendação das autoridades de saúde.