Mais de 400 passaportes caducam neste ano antes mesmo de chegarem aos respectivos donos na Huíla

Passaporte angolano
Passaporte angolano

O Subinspetor de Migração, Moisés Pedro Ndala, da Direcção dos Serviços de Migração e Estrageiros na Huíla, avançou dizendo que muitos são os utentes que não se prontificaram em receber os passaportes emitidos no ano 2016, sendo estes que perderam a validade no ano em curso.

Moisés Ndala, falou da preocupação e dos constrangimentos que a tal situação tem provocado nesses últimos anos nesta mesma instituição, devido ao atraso da entrega dos passaportes.

“Tivemos um ligeiro atraso na entrega dos documentos solicitados pelos utentes, o que já está a ser ultrapassado pela direcção nacional, mas importar informar que nós temos cerca de 432 passaportes que perderam o prazo de validade na nossa direcção. Para nós, é essencial que os utentes que pediram este documento possam proceder ao seu levantamento nos prazos estabelecidos”, avançou dizendo o Subinspetor.

O Subinspetor revelou que a subida do valor cobrados para a emissão do passaporte, reduziu a taxa de procura deste mesmo serviço na província da Huíla. Actualmente a emissão dos passaportes custa cerca de 30 mil kwanza, um valor tão elevado comparando ao anterior de 3 mil kwanzas.