PGR acredita que o dinheiro apreendido na ‘Operação Caranguejo’ vem do Orçamento Geral do Estado

O procurador-geral da República, Hélder Pitta Gróz, informou esta quinta-feira (27) de Maio, que a PGR já tem dados sobre a proveniência do dinheiro apreendido na ‘Operação Caranguejo’, que envolve o chefe das finanças da banda musical do Presidente da República, major Pedro Lussaty.

“A Procuradoria-Geral da República tem quase a certeza que os valores foram retirados através do Orçamento Geral do Estado (OGE)”, disse Hélder Pitta Gróz.

No dia 24 do corrente mês, a Procuradoria-Geral da República (PGR) anunciou a apreensão de 10 milhões de dólares, 700 mil euros e vários milhares de kwanzas em posse de oficiais militares da Casa de Segurança do Presidente da República, numa operação designada “Caranguejo”, onde o principal indicado ao crime é o chefe das finanças da banda musical do Presidente da República, major Pedro Lussaty, detido na semana passada na posse de várias malas carregadas de milhares de dólares e euros e outros artigos valiosos.