Mãe carrega o filho morto no colo por falta de auxílio de profissionais de saúde no Uíge

Uma jovem residente na província do Uíge, se viu obrigada a carregar o seu filho morto recentemente, nas costas e andar uma distância percorrida de 70 quilômetros do Hospital Geral do Uíge até o município do Kitexe, segundo relatos feitos pela CASA-CE daquela província.

O facto aconteceu no passado dia 05 de Junho e foi motivo de muitas lamentações e chocou a população.

Numa publicação feita nas redes sociais, o perfil do partido CASA-CE, partilhou com os seus seguidores o triste facto.

“Esta Jovem Mãe nas imagens víu-se obrigada a caminhar mais de 70 Kilómetros a pé da Cidade Do Uíge para o município de Kitexe com seu bebé morto nas costas.” ,começou dizendo.

A jovem cujo o nome não foi revelado, foi socorrida pela delegação da CASA-CE da província do Uíge.

Após socorror ela, o ex-partido de Abel Chivikuvuku, partilhou um texto de indignação, junto de uma foto da referida jovem.

“Aconteceu neste sábado 05/06/2021. A Jovem esteve internada com seu filho no Centro Médico do Kitexe e foi transferida para o Hospital Geral do Uíge onde seu bebé não resistiu e acabou por falecer, não tendo nenhum parente na Cidade do Uíge pôs-se a caminhar em direção a comuna da Vista Alegra onde ela reside, tudo por não ter recebido nenhum auxílio e apoio social por parte das autoridades, posta na via, foi socorrida pela Delegação do Executivo Provincial da CASA-CE que neste dia trabalhou no Município do Kitexe, onde se contactou a Polícia Nacional e o Centro Médico Local que deram tratamento ao caso.”, lê-se no post.

“É só mais uma triste realidade que expõe as fragilidades do sistema de saúde em Angola, é inconcebível essa situação, uma mulher andar com um bebé morto nas costas tão longa distância num país que não está em guerra!”, terminou dizendo.