Munícipes da Ilha de Luanda elogiam postura da polícia local durante a quadra festiva:-“É este policiamento que pretendemos na ilha e não só”

De acordo com os munícipes da Ilha de Luanda, incluindo empresários do sector da restauração e comerciantes local, a quadra festiva de 2021 foi marcada por segurança e tranquilidade, fruto do conjunto de acções delegadas pela polícia local, que rigorosamente incentivou o cumprimento do Decreto Presidencial n°315/21 de 24 de dezembro, o que consequentemente, minimizou consideravelmente as acções de vandalismo e criminalidade a nível local, algo que não é habitual durante esta época especial do ano.

Campanhas de sensibilização apelando a necessidade do cumprimento das medidas de prevenção contra a covid-19, encontro de auscultação e sensibilização com os comerciantes de peixe e empresários do sector da restauração, bem como um conjunto de sessões de aconselhamento com os munícipes, de modo a pautarem por condutas positivas e incentivo à denúncia de actos que atentam a ordem e tranquilidade pública, asseguram o natal e a passagem de ano 2021 na Ilha de Luanda, conforme os pronunciamentos dos munícipes:
Hoje estamos a ver um bairro da ilha com muitos polícias e as pessoas estão a se sentir mais seguras, os meninos que a esta altura estariam na calçada a retirar os bens dos cidadãos estão com medo, é este policiamento que pretendemos na ilha e não só, em todos os bairros para diminuir ou acabar com a delinquência. O comandante-geral da polícia tem que rever este quadro, a segurança do cidadão deve ser permanente e não a tangente…” comentou Guilherme Azevedo, em conversa com a nossa equipa de recolha de informação naquele local.

Por sua vez, por meio de uma carta, que tivemos acesso, Sebastião Dala, munícipe e membro do grupo de vigilante comunitário, manifestou a sua satisfação, garantida por uma quadra festiva mais tranquila:
Pensando naquilo que é a quadra festiva temos a informar, que até agora a situação em termos de roubos, assaltos a mão armada, arma branca, assaltos as residências, aos turistas que praticam exercícios físicos e em alguns lugares de esconderijo de bandidos estão calmos” escreveu.

Por outro lado, unanimemente, os comerciantes e empresários do sector da restauração, entenderam que as limitações impostas pelo novo decreto, apesar de ser desafiante para as suas respectivas estratégia de vendas, são temporárias e por um bem maior que vale a pena ser preservado, que é a vida.

Este conjunto de acções que garantiram aos munícipes da Ilha de Luanda um natal e passagem de ano mais tranquilo, foi orientado pelo Inspector André João e o chefe de operações local Subinspector Martinho Rita.