“Candy Factory Angola” lança para o mercado marcas de doces 100% nacionais

A Candy Factory Angola abriu ontem (26 outubro) as suas portas ao público, num evento que formalizou oficialmente a sua inauguração e que contou com a presença do Executivo e de inúmeras entidades privadas que representam o universo de stakeholders desta nova Indústria de Confeitaria, que arrancou recentemente em Angola.

Foi pela mão de Sua Excelência, o Ministro da Indústria e Comércio, Eng.º Victor Fernandes que se deu o corte solene da fita, à entrada das instalações fabris, tendo sido feita a visita guiada às linhas de produção, que permitem perceber como são produzidos estes produtos e o nível de sofisticação do equipamento industrial presente nesta unidade fabril, que conta até agora com um investimento superior a 15 mil milhões de Kwanzas e tem por objectivo gerar 350 postos de trabalho directos e indiretos num período de dois anos.

Em comunicado directo à imprensa, Sua Excelência, o Ministro da Indústria e Comércio, Eng.º Victor Fernandes, deixou clara a relevância deste investimento conjunto, dos diferentes accionistas, nacionais e internacionais, para o impulsionar da diversificação económica em Angola, e a importância de arrancar com esta nova indústria de confeitaria de açúcar, em escala, por forma a que amanhã Angola se possa afirmar como um país especialista na produção de produtos desta categoria.

Federico Crespo – acionista angolano e fundador da Candy Factory – falou sobre os esforços reunidos para a concretização do projecto, enaltecendo a colaboração decisiva do Ministério da Indústria e Comércio, do Ministério da Economia e Planeamento, bem como das instituições e equipas como a ZEE, a AIPEX, BNA, PRODESI E INACOQ, que, juntamente com os profissionais da Nelt e da Candy Factory, fizeram acontecer o que hoje é a Candy Factory Angola. Comunicou ainda que a Candy Factory tem uma capacidade instalada de 6.700 toneladas ano, que permitirá aos angolanos, terem acesso a sambapitos, rebuçados e pastilhas, produzidos localmente, com os mais exigentes padrões de qualidade e, acima de tudo, com marcas genuinamente Angolanas, criadas por Angolanos para os Angolanos.

De seguida, o discurso de Nebojša Šaponjić, – acionista e co-fundador do Grupo Nelt – veio reforçar que a Candy Factory é fruto de uma sólida parceria entre dois experientes agentes da distribuição em Angola e que a Nelt Angola pertence ao Grupo Nelt internacional, que lidera a Distribuição e Logística nos países Balcãs, com forte operação também noutros países de África. A experiência e dimensão destes parceiros trazem a Angola a garantia de que, muito em breve, vão estar ao alcance de todos os angolanos, por Luanda e nas províncias, doces de alta qualidade, com uma comunicação adequada.
Foi ainda apresentada ao público a primeira marca de doces Angolana, a OKO.