Província da Huíla regista 461 mortes por malária

mosquito
mosquito

A informação chegada hoje dia 05 de Maio, em cadeia televisiva, no programa das 20 horas, Jornal da Zimbo, a directora do gabinete da saúde, Luciana Guimarães, explicou sobre as frequentes mortes por malária na província da Huíla.

Nos últimos 3 meses do ano de 2020, a situação tem sido alarmante, pois a província apresentou até o momento mais de 101 mil casos, sendo as crianças menores de 5 anos, as maiores vítimas, atingindo 7 municípios dos 14 municípios existentes na província.

Luciana Guimarães, directora da saúde na Huíla, explicou que já temestratégias em mão para a redução do quadro presente: “nosso grande objectivo vai além do tratamento curativo, temos em mente também o preventivo”. Acrescentou que a província conta com quantidade suficiente de antipalúdico, e o mesmo conta com a reverva vinda do Banco Mundial, e já está em vigor a distribuição dos medicamentos para à preservação das comunidade.

Os hospitais da Huíla estão a ser capacitados para assegurar a demanda, “Estamos a averiguar e reuniremos amanhã  (06), com os directores de cada município, para ver as manobras de trabalho”, salientou a directora da saúde na Huíla.

Ravelino de Castro
CEO e fundador.