Fome leva cidadãos a procurar comida nos contentores de lixo da Centralidade do Kilamba

lixeira kilamba
lixeira kilamba

A situação foi reportada pela “Tv Zimbo”, durante o programa Jornal da Zimbo, hoje as 20 horas, cidadãos vindo de diversas partes em busca do que comer, fazem da Centralidade do Kilamba o seu refúgio.

A cidade do Kilamba tem sido o alvo de vários cidadãos que não vêem solução a não ser a dependerem dos contentores de lixo para a sua alimentação. Vários membros de família, de todas as idades, de crianças à adultos, a fome não escolhe idade, residentes dos bairros do Bita Progresso, Camama, Calemba 2, Imbondeiro, vão de porta à porta pedindo comida, sem vergonha preferem pedir do que roubar.

Ouvindo de alguns moradores, lamentaram: “É triste! Quando temos damos, mas quando não temos é lastimável”, expressou a moradora. No grupo dos que fazem dessa prática o seu ganha pão, encontramos uma senhora grávida de nove meses, moradora do bairro Imbondeiro que buscava de casa em casa um pouco de alimento.

Quando nada lhes é dado a única solução é recorrerem aos contentores de lixo. Outrora os restaurantes do Kilamba, eram o paraíso daqueles que queriam apenas o que sobrava dos pratos, mas com o encerramento dos mesmo não restou muitas opções. Em uma breve abordagem com um sociólogo ele deu o seu parecer: “O país nunca viu tal coisa, em 18 anos de paz, Angola regista pessoas com consciências recorrendo ao lixo isso já é crítico”, disse o psicólogo. Para quem come o que o lixo oferece, a Covid-19 é apenas um detalhe!

Ravelino de Castro
CEO e fundador.