Representantes da OMS forçados a abandonar o Burundi

O Ministério dos Negócios Estrangeiros numa carta endereçada ao escritório africano da instituição, declara a expulsão de quatro representantes da OMS, por serem considerados pessoas desagradáveis para o país.

Na carta dirigida ao escritório africano, denominava os representantes como “persona non grata” que significa pessoas indesejadas.

“O ministério tem a honra de informar que as pessoas, cujos nomes estão listados abaixo, foram declaradas ‘persona non grata’ e que, portanto, devem deixar o território do Burundi antes de 15 de Maio de 2020”, foram palavras presentes na carta dirigida a quem de direito.

A agência de notícias francesas mencionou o nome dos representantes sendo eles: Walter Kazadi Mulombo representante da OMS no Burundi, dois funcionários Jean-Pierre Mulunda Nkata coordenador da resposta ao novo coronavírus no país, e Ruhana Mirindi Bisimwa chefe do programa de doenças transmissíveis, e o consultor especialista em biologia molecular Daniel Tarzy.

O país em questão, confere 15 casos por infecção ao coronavírus, 7 recuperados e uma morte.