Cervejaria Eka chega ao fim das suas produções em Junho

Aumento de custos operacionais, levam a empresa de produção de cerveja, Eka, localizada no Dondo, município de Cambambe, província do Cuanza Norte, em decadência suspendendo a produção a partir do mês de Junho, este acto leva 147 funcionários ao desemprego.

Segundo o director- geral, Marc Mayer, a EKA encara grandes problemas de financeiros, complicados pelas dificuldades de aquisição de matéria-prima e peças sobressalentes para a manutenção.

A empresa, conta com 197 trabalhadores, mas devido os problemas que têm enfrentado serão despedidos 147 funcionários, os outros 50 funcionários poderão permanecer por tempo indeterminado, para assegurar a manutenção dos serviços mínimos da empresa.

Com o encerramento das suas actividades habituais, EKA deixará de ser uma empresa de fabricação de cerveja para ser um mercado comercial de produtos do grupo Castel, como as marcas de cerveja Soba Catumbela, Cuca e a Cobeje.

Em 2018, a EKA apresentou uma baixa na percentagem (40%)  depois da desativação da sua primeira linha de enchimento. Isto, afetou a capacidade de produção da empresa, foi reduzida de 55 mil litros de cerveja por hora, para 27 mil litros/hora.

O responsável, afirmou durante uma entrevista que existe outro factor que tem estado a prejudicar a unidade fabril prende-se com os altos rendimentos em forma de dividendos, distribuídos aos demais accionistas da empresa.