Luanda: Autocarros super lotados não cumprem com o decreto presidencial

Autocarro Tcul passageiros subindo
Autocarro Tcul passageiros subindo

Com o decreto do Estado de Calamidade em vigor desde o passado 26 de Maio, o país voltou às suas actividades normais, mas com algumas restrições, a circulação a 50% de táxis e autocarros, foi uma das regras implementadas pela Assembleia Nacional decretada pelo presidente da república, João Lourenço.

Para os angolanos os autocarros têm sido um meio de transporte com um custo reduzido mas também com uma escassez nas ruas de Luanda. O decreto presidencial obriga 50% dos passageiros a serem transportados estabelecendo a distância de  um metro, mas eles levam mais de 70% obrigando senhores a sentarem no chão para não serem observados por policias e serem multados, facto que põe em risco a saúde pública de todos neste meio.

Com a esperança de que tudo volte definitivamente à normalidade, os taxistas e cobradores dos Hiace, os famosos táxis azuis e branco têm cumprido com o que o decreto manda, e de modo nenhum deixam entrar um passageiro sem máscaras, pela sua proteção e dos passageiros.
Para quem tinha uma rotinha com um lucro rentável, a pandemia trouxe um desequilíbrio entre as saídas e as entradas. Os turismos notamos que não cumprem com 50%, pois 50% de 4 são dois e eles insistem em levar 3 pessoas, que são 75% de 100%, e tal medida poderá ser implementada já neste próximo dia 9 de Junho do ano em curso.

Ravelino de Castro
CEO e fundador.