Presidente do Burundi morre vítima de ataque cardíaco

Pierre Nkurunziza
Pierre Nkurunziza

Pierre Nkurunziza, presidente do Burundi, morreu nesta segunda-feira 8 de Junho, após sofrer um ataque cardíaco no hospital Karusi, no leste do Burundi e foi anunciado à partir da conta oficial do Twitter do governo do país, um dia depois do ocorrido.

Segundo o governo de Burundi, Nkurunziza foi levado ao hospital depois de assistir um jogo de voleibol no sábado à noite. Os cidadãos de Burundi e não só, receberam com bastante tristeza a notícia da morte do presidente de 55 anos através do Twitter: “O governo da República do Burundi anuncia com grande tristeza a inesperada morte de Sua Excelência Pierre Nkurunziza, presidente da República do Burundi (…) devio a um ataque no coração em 8 de junho de 2020”, informou um dia após o seu passamento físico.

Devido a irreversível perda, o Executivo do país decretou luto nacional com o período de sete dias, a partir desta terça-feira: “Apelamos ao povo para manter a calma e continuar a rezar. Tudo o resto será comunicado mais tarde”, realçou o porta-voz Prosper Ntahogwamiye.
Nkurunziza era evangelista e tinha crença que a sua vida foi escolhida por Deus para governar o país do leste da África, quando em 2005 foi eleito pelo Parlamento do país, tendo o início da sua vida no poder, com a decisão de embarcar no terceiro mandato em 2015, e culminou em protestos e violência que resultaram na fuga de centenas de milhares de burundineses do país.
Pierre Nkurunziza nascido aos 18 de Dezembro de 1963, foi um político burundiano que ocupou o cargo de presidente de seu país de 2005 a 2020, e líder do Conselho Nacional para a Defesa da Democracia-Forças de Defesa da Democracia (CNDD-FDD). O CNDD foi um grupo de rebeldes da etnia hutu de Burundi mas se transformou em um partido político e a principal força no país. Nkurunziza foi acusado frequentemente de liderança autocrática e seu governo é marcado por acusações de corrupção.

Ravelino de Castro
CEO e fundador.