Reaberura de escolas provoca 360 casos em Israel e evacua 16 mil alunos e professores em quarentena

Com a reabertura das escolas em Israel a propagação do vírus foi muito veloz causando mais 360 casos de contágio do novo coronavírus, levando mais de 16 mil pessoas da comunidade educativa formada por professores e alunos à quarentena e ao fechamento de 110 escolas no país.

Contra factos não há argumentos, a luta contra o inimigo invisível tem sido o trabalho árduo de todos os técnicos de saúde. Foi noticiado pela serviço de notícias internacional “Agência EFE” que 110 escolas foram fechadas, e que desde que começou a reabertura gradual do sistema educativo no início de Maio os casos aumentaram significativamente com cerca de 360 novos casos, enquanto que 16 mil estudantes e funcionários foram obrigados a manter-se em quarentena de modos a evitar a propagação da Covid-19, isso durante duas semanas.

Com um total de 16 mil pessoas, o país estudo formas de testar todos e ainda os contactos directos e indirectos dos mesmos. Com tanta gente por se testar as autoridades precisariam de mais do que uma fórmula mágica para tal mas o país mesmo assim liberou as festividades lectivas do final de ano com algumas limitações, o agrupamento será apenas para colegas da mesma turma e sem a presença dos encarregados.

Por Covid-19, 298 foi o registo de mortes, com 15102 recuperados, num total de 17915 pessoas confirmadas com o novo coronavírus.