João Lourenço celebra feitos dos músicos, camionistas e produtores agrícolas em Angola

O presidente da República de Angola, João Lourenço, reconheceu e agradeceu os esforços de todos que lutam para travar a pandemia, e ajudar quem mais carece, isso a partir da sua conta no Twitter, ontem 21 de Junho.

Já dizia o ditado popular, a união faz a força. A fome cresce e a dificuldade aumenta, vários são os angolanos que estendem as mãos para ajudar os mais desfavorecidos. João Lourenço, brindou as acções feitas por profissionais de várias áreas, que tem como único objectivo ajudar a população angolana, a passar pela fase do isolamento social de maneira mais leve. O PR da nação angolana, felicitou os músicos, camionistas e produtores agrícolas, que em meio a fase de pandemia, muito fazem para ajudar a encher o estômago dos que mais precisam. Mesmo com o inimigo invisível a solta, os populares sentem-se obrigados à procurar sustento, o que faz comprometer a saúde da comunidade, mas a necessidade alimentar fala mais alto.

Todo o trabalho feito para angariar fundos, tem sido visto pelas autoridades, e o PR de Angola manifestou sua alegria e satisfação, o presidente reconheceu o empenho doa artistas, na realização das lives em parceria com cadeias televisivas, e parabenizou também os produtores agrícolas,e quem faz chegar o produto as mesas das famílias angolanas: “Felicito todos os músicos, que através das televisões, ajudam-nos a suportar a nostalgia do confinamento, os produtores agrícolas e os caminhonistas que garantem a oferta de bens essenciais de consumo”, escreveu João Lourenço num post em sua conta do Twitter.

Os elogios e agradecimentos, estenderam-se para profissionais que labutam no espaço aéreo, profissionais de saúde e jornalistas: “Neste combate ao Covid-19, elogio o sacrifício dos profissionais do sector da saúde, das forças da ordem, dos jornalistas, e das tripulações dos Boeing 777 da TAAG, que não poupam esforços para minimizar a probabilidade de expansão do vírus”, disse o PR e acrescentou: “Meu reconhecimento vai também para os empresários, ONG, e cidadão anónimos que doam bens para mitigar o sofrimento dos mais necessitados”, viu-se escrito o agradecimento da autoridade superior angolana.