Seleção angolana de xadrez perde olimpíada devido a fraca conexão à internet

Angolanas jogando Xadrez
Angolanas jogando Xadrez

Para o ano 2020, as Olimpíadas Mundiais de Xadrez obedeceram as medidas de prevenção e distanciamento social, e recorreram à plataforma digital em sistema online para a execução do mesmo, o que condicionou a partida em tripla jornada desta sexta-feira (07) dos jogadores angolanos, que por inconstância da internet acabaram perdendo.

Atendendo a fase que o mundo vive, adaptar-se à novas medidas de funcionamento tem sido uma batalha constante, agravando-se com a insatisfação de quem perde uma oportunidade por forças de terceiros. Para a seleção nacional perder pela primeira vez, não estava incluído em suas metas.

Angola competiu com a Escócia na primeira ronda do dia, e saiu perdedora por 2,5 – 3,5, resultado da falta de conexão durante o jogo, o que concedeu um ponto à equipa adversária por falta de comparência do jogador nacional no momento.

A cena voltou a repetir-se na seguinte ronda, segunda desta terceira fase da competição (grupo – B), quando a conexão da internet comprometeu o jogo do candidato a Mestre Lutuima Amaro. Quem teve a repetição do quadro foi o atleta da Escola Macovi que durante um minuto teve falha no sinal da internet, e quando restabeleceu o tempo já havia terminado o tempo de jogo.

Ainda na sequência de falhas e resultados inesperados, Angola perdeu por 1-5 contra a selecção de atletas de vários países do mundo com Síndrome de Down e deficientes visuais (IPCA). No confronto com Portugal, Angola voltou a perder por 1,5 – 4,5.

Ravelino de Castro
CEO e fundador.