Eva encoraja bolseiros do INAGBE desesperados com atraso dos subsídios a manifestarem-se

Eva Rapdiva
Eva Rapdiva

Os bolseiros do INAGBE do ano lectivo 2020/2021 vêm se demostrado agastados com as falsas promessas de pagamentos dos subsídios que já perdura há cerca de três meses. Solidária com a causa, Eva Rap Diva usou a sua conta na rede social Instagram nesta quinta-feira (09) de Setembro, para apoiar e reforçar a manifestação que os mesmos farão nesta sexta-feira (10) do mês em curso, ás 9h frente as instalações do Instituto Nacional de Gestão de Bolsas de Estudo (INAGBE), no Talatona.

As reclamações dos estudantes bolseiros internos do Inagbe têm sido constantes em todos os anos, já que não é a primeira vez que estes passam por esta situação. Tristes e desesperados os mesmos recorreram a diversos meios de comunicação para fazer chegar o seu clamor e pedido de socorro de modo a ver as suas situações resolvidas, por estar a se aproximar o ano lectivo 2021/2022 e muitos ainda não confirmaram as suas matrículas por falta de pagamento dos subsídios.

Como sinal de apoio Eva usou uma das suas redes sociais e fez saber a aflição de milhares de estudantes:

“Toda a minha solidariedade para os bolseiros do INAGBE!
Manifestarem-se sim, exijam o que é vosso por direito! A forma como os bolseiros angolanos dentro e fora do país são tratados tem que mudar…”, escreveu Eva na sua conta do Instagram.

Por outra os bolseiros alegam que “desde que o nome dos novos bolseiros saiu, o INAGBE não paga os valores. No contrato alegava-se que os valores seriam pagos no dia 24 de Junho e até hoje nada se fala. O ano académico começa já em Outubro, há uma semana houve uma reunião com o Director do INAGBE e o mesmo prometeu fazer o processamento dos subsídios no dia 03 do corrente mês e até agora nada e eles nem se pronunciam”, disse um dos bolseiros que contou que em 2016 sob mesmas circunstâncias houve desvio de fundo e os subsídios daquele ano não foram processados, e os estudantes não tiveram as suas contas bancárias preenchidas com o valor a que tinham direito.